Revendo laços

Próximo do aeroporto – quem diria? – lá está ele: o laçador.

Ao invés de estar no campo mirando os bois e os cavalos, ele observa atentamente o céu da cidade.

Nele, contempla o tráfego aéreo que inclui dos valentes quero-queros até aeronaves robustas.

Quanto mais olha a movimentação, maior sua curiosidade pelos detalhes.

Trocou a imensidão do verde do pampa pelo grande quadro celeste, que algumas vezes muda de tom.

Em ambos os espaços o olhar sobre a vastidão e a mesma sensação de liberdade.

Desde que assumiu a coxilha urbana tem revisto alguns valores.

Estar próximo de um local com tantas chegadas e partidas, o fez entender que os laços realmente importantes são os afetivos.

Compartilhe!

3 comentários em “Revendo laços”

  1. Margareth Lieske

    Que texto afetuoso, Katia!! Amei a associação do nosso Laçador com laços afetivos! E Viva nossa Porto Alegre!

  2. Gelci Rostirolla

    Excelente texto Kátia. O que importa são os laços afetivos! Bom poder acompanhar suas chegadas e partidas. Parabéns por fazer parte deste maravilhoso Projeto.

  3. Dulce Torzecki

    Lindo e tocante texto, Katia, parabéns! Adorando participar de suas viagens literárias. Muito bacana o projeto!

gostou? comente!

Rolar para cima