Soraia Schmidt em foto de Gabriel Munhoz

Temporais

Soraia  Schmidt

O tempo traz o vento

O vento traz o galho seco pelo tempo

O vento arranca o galho seco, as flores

O vento traz o tempo

O tempo traz mortos e vivos, silêncios, ausências e vazios

Estradas sem caminhos

Caminhos sem estradas

Estradas sem bermas, não são caminhos nem estradas, apenas passagens

Do tempo e do vento

O tempo leva o vento

O vento leva o tempo

O tempo e o vento levam os mortos aos vivos

Ficam marcas

Marcas humanas

Brevemente, fica, ainda, o colorido intenso das flores mortas

Flores de plástico. Inertes, sem cheiro, sem vida

A cor viva ostenta um contraste mórbido

O que é morto está vivo e o que é vivo está morto

Imagem da pureza dura da vida. Nua. Concreta. Sem alma.

O vento arranca o galho seco, as flores

O tempo, a ilusão

Tudo se perde na eternidade

Fica apenas o tempo e o vento

Perenes

Atemporais.

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima