Steve Johnson por Altino Mayrink

É uma viagem

Altino Mayrink

É preferível a angústia da busca à paz da acomodação”
– Dom Resende Costa

A vida é uma viagem. Longa demais para que cada parte seja uma aventura. Curta demais para que nos exijamos fazer inúmeras escolhas.

Ficar estacionado em qualquer parte de uma viagem, por melhor que seja a pousada, por mais gratificante que seja o clima, por melhores que sejam os insumos e consumos encontrados, é ruim. Para ser mais preciso, é necessário que a inquietação nos desobrigue da inércia e o conforto não seja limitante.

Movimentamo-nos desde as primeiras horas após o nascimento. Se paramos, tudo que foi aprendido fica suspenso e a todos que conhecemos, imortalizamos em fotografias estanques da memória. A ebulição de sinapses para de ser feita e a morna normalidade do passar do tempo vai enraizando outros aprendizados, conceitos e, numa estância posterior, preconceitos. O que nos define já não é o que é, mas o que foi, o que o tempo deveria desenvolver, mas não o faz sem nosso esforço.

Repetir caminhos, repetir veredas, estradas, rituais e destinos só nos faz menos agora, mais ontem. Nos envelhece e nos reprime, deprime, nos afastando do que seria o sublime, o evoé. Os deuses não se orgulham dos que não buscam, os que não se distinguem pela constante busca. A comida e bebida farta e as orgias excêntricas apenas perpetuam o que já foi. Sempre é momento de melhorar, de fazer a mais, de ir mais longe, de alcançar.

Assim, por caminhos diferentes, usando de todo tipo de veículo, continuo indo em frente, alternando cansaço com repouso restaurador, rumo a não parar jamais. Até que a morte me separe…

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima