Rita Rheingantz em foto de Marcelo Leal

Em Sol menor

Rita Rheingantz
Melopeia transversal celeste
cores entrelaçam tons
nuances e matizes equilibram-se a espera da Lua
ondas explodem em espumas de delírio
sonetos entre o ar e o mar
areia fina sob passos flanantes
cheiro de maresia e completude
natureza em estado bruto
traços contínuos transfiguram-se em colinas
nuvens lacônicas dialogam com o instante
brilhos e sombreados cintilantes maquiam o lusco-fusco
incontáveis gaivotas sobrevoam o mar em forma de “V”
como backing vocals, acompanham a sinfonia marítima e harmônica
caranguejo mimetizado submerge à beira-mar
um barquinho é avistado longínquo
 luz e sombra mudam de lugar
é o dia a virar noite
minha solitude quer ficar só

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima