Rafal Olbinski por Marcia Ribeiro

Off Broadway

Marcia H de M Ribeiro

Na prateleira mais alta da biblioteca encontrei dentro de um livro um ticket virgem para o Empire State Building em Nova York. Durante uma semana, naquele longínquo século XX, carregamos o bilhete no bolso à espera de um clima favorável para apreciar a cidade num de seus pontos mais altos. Eu acabara de rever o filme Tarde demais para esquecer, em que dois amantes combinam de se encontrar naquele edifício, e estava ansiosa por fechar os olhos por uns instantes e sentir o vento no rosto ao imaginar a cena que poderia ter acontecido. É verdade que também corria o risco de topar com King Kong, mas nem lembrei disso na época.

Depois tivemos algumas amostras memoráveis do Central Park, personagem de Ghost, Friends e tantos outros. E o MoMA, o Metropolitan e o Guggenheim imortalizados por Woddy Allen em Manhattan; quanta emoção. Na Times Square recordei o desespero de David em Vanila Sky. Coisa de gênio essa habilidade de alguns escritores para contar a história numa ordenação não cronológica, ainda mais quando o futuro aparece no primeiro parágrafo como em Cem anos de solidão. Adiante encontramos o touro negro de Wall Street imortalizado em O Lobo de Wall Street; um e outro a não nos deixar esquecer a força do capitalismo indomável.

E depois estavam as Torres Gêmeas.

Ia escrever: por pouco não vi cair, mas bilhões como eu vimos incrédulos os aviões jogados contra as torres e depois sua queda, uma duas centenas de vezes por todos os ângulos possíveis. Seria mais acertado dizer então que não senti cair? Mas eu senti cair com as vidas também a ilusão de um tempo e espaço protegidos da guerra numa cidade multicultural.

De longe, com o som da televisão desligado, as imagens do crime podiam parecer, aos desavisados telespectadores, anúncio do próximo filme macabro a ser exibido na Broadway. Mas era a ficção tornada verdade a nos lembrar que, nem bem iniciado, o século XXI já revelava a complexidade dos problemas humanos que viriam depois. Já no The Day After.

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima