O dom da música

A música nos melhora a vida. Leva amor a quem canta, toca, compõe, dança e, principalmente, escuta. Ao tom de cada estrofe e de cada música algo acontece, surge uma emoção.

É o dom de ser música!

Os anjos cantam nos céus, sabiam? É assim que a magia da comunicação angelical chega a nós – aqui na terrinha. Pode acreditar… Bom, é o que dizem, e eu acredito, pois quando danço ou canto, escuto meu coração um pouquinho mais, assim como quem encontra seu céu.

Vou trazer a vocês, aqui, ecos de uma pequenina história de vida. Já faz um bom tempo, foi no século passado, que eu cantei em um coral formado por jovens apaixonados e muito inspirados da minha igreja.

Ouvi certa vez: “objeto bem contemplado se abre ao mundo”. Esta frase foi atribuída a Goethe, e, precisaria ser comprovada a autoria, mas não o fiz, pois o que ecoa em mim é o conteúdo da ideia e não seu criador.

Sou grata pelo período que me aproximou de tanta gente querida e me proporcionou experiências únicas quando ainda adolescente. Por esse motivo pensei nessa frase, pois o canto exige esse comportamento de se abrir ao mundo. É lindo demais cantar!

Respira fundo, expande o diafragma, abre a boca e canta como quem percebe o entorno pelo terceiro olho. Não machuca tuas cordas vocais cantando, tua força e vibração se abrem em tua testa. Nós do coral, na época, tivemos aulas de canto com o professor Decápolis. Ouvíamos todos esses ensinamentos. Aprendi muito com ele.

Decápolis de Andrade, professor da universidade de Caxias do Sul, da Ufrgs, grande tenor da Ospa. Fica a dica: leiam sua biografia. Dizem ter sido o tenor que mais se apresentou junto a nossa Sinfônica, símbolo de Porto Alegre. Para mim o professor Decápolis foi quem ensinou a usar a força vocal em cada acorde do meio da minha testa, pouco acima do nariz.

Dedico minhas lembranças a Decápolis que me testando em tons e dons (e me contemplando) criou essa linda memória. Obrigada.

Compartilhe!

gostou? comente!

Rolar para cima