Maria Amélia Mano em foto de Gutemberg Ostemberg

Tango Apasionado

Maria Amélia Mano

Sobre teu gato. Preciso te confessar. No começo, ele me viu assim, apavorada e avoada, meio toda prosa e poesia. Me olhou com aquele olho azul e outro amarelo e disse que tinha segredos teus pra me contar em troca de chamego. Queria ilha de coral de calma, colo e carinho. Abracei ele no ar como se dançasse uma milonga sentimental. Não falou nada.

Desde então, venho aprendendo, descobrindo. Sobre pessoas e gatos. Nem tudo tem ou faz sentido. Há o estudante de filosofia de cabelo lilás e balão colorido lindo tatuado no braço. Disse que desenho quer dizer nada. É só treino de amigo iniciante na arte. Enfermeira amarga com jeito de freira vende calcinhas comestíveis vermelhas, fio dental.

A senhorinha pequena, gordinha e frágil é da Gangue das Gordas, quadrilha que bate carteira e bolsa no centro da cidade em tempos de mais consumo. Tipo Natal. O cobrador do ônibus é homem negro, imenso, sempre com livro pra ler entre paradas. O último que consegui ver título: Cinquenta Tons de Cinza.

Tem eu. Dizem que sou sensível. Escrevo, espio, intuo, poemo, mas amuo, minguo e me distraio; pairo, tonteio, desmaio, caio no leito do rio seco, afago flor de cacto, me espinho, naufrago no chão do sertão, viajo no vão, veia de arado onde me planto, floresço, floreio e frutifico. Falho, às vezes. Às vezes, esqueço e canso. Sinto frio e medo. Durmo.

Tem tu. Tu que fala pouco e não faz verso. Mas é verso no vento. É tu que me sopra, me acorda, me dá água, me colhe. É quem nunca cansa, nunca esquece de pegar minha mão no momento preciso. Quando acredito que mundos se reinventam e planetas se recriam. E sigo aprendendo, descobrindo. Sobre mim, tu, nós. Sobre pessoas e gatos.

Sobre teu gato. Preciso te confessar. Agora, ele já conhece meus segredos. Deve te chantagear te olhando com aquele olho azul e outro amarelo, como fez comigo. Um chamego por um segredo. Não vai falar nada. Não precisa. Vamos comer sopa à meia noite com vinho e pão fresco. E abrace ele no ar como se dançasse um tango de Piazzolla. Bem apaixonado.

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima