Jim Harris por Altino Mayrink

Coaxei

Altino Mayrink

No fim de semana, como menino levado e baseado em uma necessidade que qualquer psicólogo vai rir ao saber, fiz uma pequena viagem ao litoral norte, para colocar os pés na água salgada – a tal necessidade –, “carioquice” de longa data.

Carro alugado, máquina fotográfica, garrafinha de água mineral, um pouco de roupas e muita disposição. Bagagem básica para a aventura. Ideia de conhecer a praia Paraíso, reconhecidamente um local vazio nessa época de isolamento. E um mar de dar suspiros.

Parada inicial, Arroio do Sal, para tomar um café e dar um oi para amigos que lá moram. Começou a sina aí. Era só sair do carro que a chuva aumentava e molhava o imprevidente vivente que não levou nem guarda-chuva, nem capa. Muitas estrelas nos óculos cheios de pingos.

Insistente e sabendo que ainda não tinha realizado o proposto, fui adiante. Como boa sina, a chuva amainou e pude chegar ao Parque Natural Municipal Tupancy. Paro o carro, pego a “arma” e vou fotografar. Claro: pés fora do veículo e chuva ampliada. Só tirei fotos de cima para baixo para não molhar a lente. Zoom nas capivaras, ratões do banhado e pássaros diversos. Um filhotinho de “ratão” chamou a atenção pela proximidade e as atitudes quase humanas de segurar o que comia com as duas “mãozinhas”.

Corre para o carro de novo. Esticada até a praia definida como alvo de atenção. Lembrar que lá seria o local de contatar as energias do universo na água. Cheguei na hora de almoçar e o corpo já pedia. Peixe grelhado com legumes e um tempero digno do litoral. Quem nasceu ou mora a beira mar sabe o que estou dizendo. Pimenta na medida certa.

Saí do carro e, adivinha? Muita água na cabeça pelos três metros de corrida até o restaurante. Ainda bem que a comida valeu e o tempo da refeição foi o suficiente para a chuva reduzir a quase zero.

Passeio completado. Água de mar, pés molhados, fotos incríveis e um sorriso no rosto. Próxima parada, pousada em Itapeva, já prevista. Muita chuva mais. Dormi com o barulho da chuva e os sapos. Acho que até coaxei, alagado.

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima