Guy Billout por Rita Rheingantz

Divã

Rita Rheingantz

Sim, repetidas vezes. Algumas modificações gradativas nas cores, de saturadas a tons monocromáticos. A mesma cena aparece em noite chuvosa, no pôr do sol, já nevou, já teve furacão e terremoto.

Sempre aquele homem, de calção, de costas, sozinho num trampolim. Lá embaixo uma piscina, que também é mutante. Aparece em forma de aquário, de lama, de esgoto e lágrimas.

Muitas escadas, dentro e fora. Ele, sempre sozinho e imóvel.

Difícil desvendar as metáforas desse sonho. Acordo várias vezes durante a noite, sempre agitada, apesar de a cena não ter movimento. Hoje despertei chorando copiosamente. Não entendo esse homem de costas nem a ausência de reação. Só vejo seu perfil. Perfil este que me é tão familiar, mesmo sem conhecê-lo.

Ele mergulha.

Devaneios turvos. Sentimentos unilaterais.

Acordo.

O sonho dentro do sonho.

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima