Guy Billout por Marcia H de M Ribeiro

A escolha

Marcia H de M Ribeiro

When nothing goes right, go left.

Divergiam sobre a melhor escolha para o caso, indecisos. Sabia que a decisão não era dele, mas na posição de assessor sentia-se no dever de advertir, dizer o que outros talvez não tivessem coragem. Tinha grande mal-estar com os colegas que concordavam com a opinião do chefe e nos corredores criticavam suas decisões ou, quando as coisas saíam mal, se gabavam de tê-lo avisado antes. Era-lhe asquerosa postura. Perdia o cargo, mas não se calava quando convicto do que tinha a dizer. No fim do expediente voltava para casa cansado, como se além do corpo próprio carregasse o peso das divergências, da discussão que não levara a lugar algum. Precisava de uma trégua para reorganizar as ideias, reacomodar os sentires, e era na água que isso acontecia. No caminho, a piscina pública o recebia sem restrições. Mas naquele dia a encontrara fechada para manutenção. Sentiu-se mais frustrado e por um momento não soube o que fazer. Riu da curiosa repetição. Arrastou-se até o apartamento. Deu comida para o gato. Abriu a porta da sacada. Pegou uma cerveja e se deitou no sofá olhando para o céu pintado de nuvens cinza escuro do anunciado temporal. Não queria pensar em trabalho, e lastimou a falta da natação. Ela ajudava a expurgar os excessos, abria espaço para outros prazeres. O gato deitou sobre sua barriga. A troca de calores acomodou-os no sono. Sonhou-se num trampolim inusitado, em forma de ípsilon, numa piscina de salto ornamental, indeciso sobre de que lado saltar. Escutava vozes lhe estimulando, outras repreendendo pela demora, pela indecisão. Diziam-lhe que se não sabia o que fazer desse lugar a outros. Ouvia xingamentos, rumores, demasiadas opiniões. Sentia muito calor, desejo de mergulhar, e um suor frio a escorrer-lhe das axilas. No meio do barulho, a voz do chefe em seu ouvido: – Uma decisão errada tem remédio. A indecisão deixa a vida em suspenso. Acordou sobressaltado. A cortina molhada de chuva grudada em seu braço, e o gato miando sobre o parapeito da sacada.

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima