Douglas Smith por Felipe Anselmo Olinto

Ruptura

Felipe Anselmo Olinto

Tijolos bem encaixados edificam moradias sólidas e seguras, definem o comportamento adequado de uma vida digna e equilibrada. Tanto faz para os que gravitam em torno se a afirmativa não corresponde à realidade, a estética é o que vale. Durante algum tempo a paz se fará presente. Realidade anuviada pela fantasia.

Paredes alinhadas, assepsia do piso, detritos tão bem guardados quanto presentes na escuridão dos pensamentos, ideias, desejos.

Tornados realidade, o desconhecido. Insegurança a ser superada. Mistério a ser desfeito.

Faróis acesos, energia inesgotável, com diligência o coletor faz seu trabalho permanente, capacidade superada, o transbordamento, limites ultrapassados. Atitudes irão ditar os próximos passos, insensatez ou não, degraus da vida, acima ou abaixo.

A escada próxima e desafiadora conduz ao brilho do sol aconchegante ou a chuva fria e torrencial. Desvendar? Após percorre-la. Desistir – tormenta diária da escolha não feita, vida morta.

Tempo em movimento, a cicatriz toma o lugar do coletor e estará sempre presente pela incômoda lembrança, faróis acesos, energia inesgotável.

Inarredáveis, coletor e cicatriz amalgamados em cada um e em todos, estejam ou não os tijolos bem encaixados.

Ruptura que se avizinha.

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima