Cynthia Torp por Alexandre Wahl Hennigen

Da plataforma

Alexandre Wahl Hennigen

Às vezes tenho dificuldade para dormir porque fico pensando em um monte de bobagem que preciso resolver. Algumas dessas situações nem dependem de mim, e seria de pouca polidez entrar em contato com os responsáveis de madrugada.

Um amigo psiquiatra disse que pensamentos são como trens em uma estação. Vão estar sempre lá, o problema é quando a gente entra neles e se deixa levar para algum lugar. Pior ainda é tentar contrariar todas as leis da física e subir em todos os trens ao mesmo tempo e ficar pulando de um para o outro. Um perigo.

Vamos lá: não se levantar, apenas admirar a paisagem. Imaginar a estação. Passar as catracas. Sentar-se num banco em frente às plataformas. Pedir um café. Apagar as pessoas da estação. Muito mais tranquilo assim.

Trem com destino à conta de luz que esqueci de pagar. Olha ele lá esperando que eu embarque. Vai sair em dois minutos. Eu posso entrar no site da companhia de energia elétrica amanhã e pegar a segunda via. Partiu.

Na plataforma ao lado tem um expresso com vagão restaurante e destino ao futuro acadêmico. Faz vinte anos que eu entro nesse trem e fico atravessando de um vagão para outro durante a noite. Hoje ele vai embora sem mim. A comida da universidade nem é boa, e a viagem que devia ser direta sempre vira pinga-pinga.

Plataforma três: esse aí está cheio de traumas de infância. Tem até um palhaço lá dentro. Estão desembarcando e vindo na minha direção. Baixa a cabeça. Toma um gole de café e finge que não é contigo. Era para ser um trem só de ida, não de volta. Respira fundo. Talvez eu esteja tão diferente que eles nem me reconheçam.

Plataforma quatro: uma ida lenta e tumultuada ao supermercado. Falta leite em casa. Eu preciso comprar mais Ovomaltine. Sempre me esqueço. Quem se importa com o arroz, vocês viram o preço que está o chocolate? O mercado não está aberto agora, também posso almoçar fora amanhã. De fome não vou morrer.

A plataforma cinco está bem distante, mas eu vejo no placar que tem um programado para o próximo emprego. É hora de mudar de vida. Talvez seja uma viagem agradável, talvez esse seja mais um fracasso. Semana que vem ainda estou de férias. Vamos pensar nisso depois da praia e do bronzeado.

Mais uma vez durmo na estação.

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima