Caio Fernando Abreu é o quinto escritor brasileiro homenageado pela tradicional oficina literária Santa Sede – Crônicas de Botequim. O nome do escritor gaúcho foi escolhido pelo aniversário de 70 anos de seu nascimento, que acontece em 2018.

“Caio foi um cronista sui generis – compunha sobre suas paisagens internas, ora usando e abusando de sua delicadeza, ora ácido, tudo transposto num diálogo muito direto com seus leitores”, afirma o escritor Rubem Penz, que comanda a oficina criada há quase uma década, na Cidade Baixa.

Todas as 75 crônicas do livro tiveram como base a obra “Pequenas Epifanias”, coletânea que reúne publicações feitas em diversos jornais de grande circulação e que alcança, inclusive e principalmente, o período em que estava sujeito ao aflição imposta pela condição de ser soropositivo.

A oficina literária Santa Sede – crônicas de botequim é um projeto cultural que existe desde 2010 e alcança 14 publicações com “Caio em mim”. Em 2016 recebeu o troféu Açorianos como “Destaque Literário”, primeira oficina literária a merecer esta láurea justamente por ocupar um espaço tão inusitado como a mesa de botequim com a produção escrita de apurado nível.

Cronistas: Ana Luiza Rizzo, André Hofmeister, Camila Z., Clarice Jahn Ribeiro, Edgar Aristimunho, Felipe Basso, Gabriel Lesz, Giancarlo Carvalho, Maria Amélia Mano, Maria Isabel Arbo, Maria Mercedes Bendati, Michele Justo iost, Patrícia Franz e Ronaldo Lucena e Rubem Penz.

Organização: Rubem Penz
Editora Editora Buqui