Camilla Duncan em foto de Mau Saldanha

Rodavida

Camilla Duncan

 

Na imensidão daquela praça, elegeu um canto para chamar de seu. Estacionou sua bicicleta surrada e sentou-se em um banco de pedra fria e úmida como seus pensamentos.

O velho, cansado de sua pedalada matinal, sentia-se derrotado pelo tempo. Olhou para sua bicicleta e lembrou-se do jovem que havia sido: dono de rígidas e serelepes pernas.

Recordou dos passeios aventureiros, das descobertas feitas e da avidez por desbravar o mundo.

Ah! Se as rodas da bicicleta pudessem girar no sentido inverso trazendo o passado de volta! Suas escolhas teriam sido diferentes? Quais rumos ele teria seguido?

Naquela vasta praça, Esperança era sua única companheira, convidando-o a desafiar a vida, a olhar para a direção futura.

Levantou-se. Foi comprar um saquinho de pipocas, para alimentar as famintas pombas que já estavam a sua volta. Por um instante, pensou “que bom que são pombas e não urubus”.

Compartilhe!

15 comentários em “Camilla Duncan em foto de Mau Saldanha”

  1. Adorei Camila, crônica poética… Existe este tipo de texto? Acho que vc acaba de inventá-lo, parabéns! Enxerguei a cena e mergulhei nela, senti-me como o protagonista. Muito lindo. Obrigada.

  2. Essa história nos revela um pouco, pq assim como ele, qdo nos sentimos cansados de algo, somos pegos a refletir sobre a vida que passou …. Muito sensível tua visão. Parabéns pelo texto Camilla. Bjsss

gostou? comente!

Rolar para cima