Jane Ulbrich em foto de Gabriel Munhoz

Remorso

Jane Maria Ulbrich

Paciência Juvenal! Tanto tempo havia trabalhado para comprar seu material para aulas de mergulho. Em uma manhã, depois da aula que o professor lhe dava generosamente e quando possível, ficara distraído a divertir-se, não percebendo o tempo passar. Quando se deu conta da hora, já não havia tempo de ir e

m casa. A mãe bateria nele se perdesse a escola e o proibiria de mergulhar. Sem outra opção, guardara tudo bem escondido no barco do seu pai. Viria buscá-los na saída da aula. Não podia levá-los junto, para não denunciar o motivo do seu atraso.

Correu tão rápido quanto pode e a desculpa esfarrapada, não o poupara de ficar retido na escola no final da tarde, refazendo os temas que deixara prontos em sua casa. Com sua demora, a mãe enviou o irmão mais velho em seu encalço e na volta para casa, também não escapara da surra, ficando proibido de ir à praia durante um mês.

O pai, pescador respeitado, estava internado, tratando uma velha tuberculose relutante em o abandonar. Juvenal sabia que ninguém iria mexer no barco do pai, portanto, suas coisas estavam bem guardadas. Não podia correr riscos e desobedecer a mãe, sob pena de tão cedo não voltar a mergulhar.

O calor, em algum lugar do planeta, cobrou seu preço. Quase no fim do período de castigo, após noite e madrugada nervosa, ventos intensos, com muito medo, Juvenal tremia por não saber o que estava acontecendo na praia. A mãe não permitira que seus oito jovens filhos saíssem. Já bastava a angústia pelo pai hospitalizado, dizia ela. Passaram a noite rezando para que o ganha-pão do pai não fosse levado pelas águas. Juvenal os acompanhava, mas, com um pedido bem diferente.

Pela manhã, calmaria. A água avançara em fúria na praia. O barco do pai foi encontrado muito distante, sem o material de Juvenal. Esperançoso, seguira a busca, cada vez mais aflito. Dias de caminhada na areia molhada, suja e ele localizara apenas um pé-de- pato. A vida retornando ao de sempre, exceto pela desesperança de Juvenal.

Facebook Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima